11.15.2010

Glauco Mattoso

Passei o dia preparando as resenhas para o anuário de fanzines da UGRA e uma das leituras mais interessantes que encontrei foi o zine Spell Work. Especialmente, uma entrevista com o Glauco Mattoso, esse degenerado poeta amante de pés. Reproduzo a seguir um dos trechos da entrevista e deixo o convite para que vocês conheçam esse zine.

11.11.2010

Histórias de amantes IX


F. tinha um especial prazer em escolher as calcinhas, sutiãs e meias para suas mulheres. Gastava algumas horas imaginando como as amantes ficariam com as peças delicadas. Nos momentos de ócio excitava-se em múltiplas visões mentais e lembrava-se do branco de uma microcalcinha a contrastar com a pele morena de Renata, ou o negro das meias 3/4 que modelavam as coxas grossas de Cassandra, ou vermelho que caía tão bem nos apetitosos seios de Gabriela. Comprava tais peças às dezenas e as oferecia com gestos ensaiados de cavalheiro conquistador, desejoso de que os agrados despertassem o gênio da Lascívia em suas amantes. E mesmo cientes de que tudo era o interesse de um jogo nada secreto de segundas intenções, elas agradeciam os mimos luxuosos e aceitavam as regras, sorridentes e umidecidas.

11.01.2010

O Universo como um rascunho


"O mundo talvez seja o rascunho rudimentar de algum deus infantil, que o abandonou pela metade, envergonhado por sua execução deficiente; é obra de um deus subalterno, de quem os deuses superiores se riem; é a confusa produção de uma divindade decrépita e envelhecida, que já está morta."